Egito e Itália negociam possível acordo de compra de duas FREMM

A Marinha do Egito está muito próxima de comprar duas Fragatas FREMM da italiana Fincantieri. os primeiros indícios surgiram dia 4 de fevereiro, quando o jornal francês La Tribune noticiou que o Egito está “muito perto” de assinar um acordo com a Fincantieri visando a aquisição das duas fragatas FREMM.

Segundo informações, as duas fragatas destinadas ao Egito podem já estar em avançado estagio de construção, tendo em vista a hipótese de repasse dos dois navios que estão sendo originalmente construídos para Marinha Italiana, as fragatas “Spartaco Schergat” e “Emilio Bianchi”, lançadas em janeiro de 2019 e janeiro de 2020, respectivamente, o que pode representar um negócio de 1,2 bilhões de euros para Fincantieri.

No início da semana passada, a mídia italiana havia relatado que está em andamento conversas para definição de um possível acordo para venda das FREMM.

O Egito tem mantido um contínuo investimento em seu poder naval, o qual tem recebido especial atenção, com a aquisição de vários meios novos, como os dois navios da Classe Mistral que originalmente foram construídos para Rússia, bem como a decisão egípcia de adquirir até seis fragatas MEKO A-200 junto a alemã TKMS, agora os egípcios estão prestes a fechar a aquisição de duas fragatas FREMM.
A opção pela FREMM italiana esta ligada ao esfriamento nas relações entre o Cairo e Paris, o qual encontra-se abalado pelo posicionamento do presidente francês Emmanuel Macron, que pressionou o governo egípcio com relação aos direitos humanos em sua visita ao Cairo em janeiro de 2019. O posicionamento do presidente francês representou um revés nas compras militares do Egito, levando-o a buscar outros parceiros europeus para atender sua demanda.

Os egípcios adquiriram uma grande variedade de equipamentos franceses antes do “tropeço” de Macron, representando bilhões de euros na compra dos dois Porta-Helicópteros da Classe Mistral, caças Rafale, uma fragata FREMM e as corvetas da Classe Gowind. Os acordos relativos a aquisição de um novo lote de doze Rafales e duas corvetas da Classe Gowind encontram-se paralisados.

Back to top